domingo, julho 10, 2011

Elias

É um lugar comum. Não vou conseguir dizer nada novo, nada que emocione ou surpreenda. Sou mãe há uma semana e o Elias é meu filho. O momento do nascimento, esses minutos em que o vi pela primeira vez, depois de o ter sentido vários meses, foram sem dúvida os mais felizes que vivi até hoje. Foi uma emoção pura, biológica. A sua pele era a continuação da minha e será sempre assim.

Que grandioso é o amor dos pais pelos filhos. Talvez seja este o único amor livre de impurezas, talvez seja este o princípio e o fim de tudo.
Ocorreu um erro neste dispositivo