terça-feira, janeiro 19, 2010

Para que serve a poesia?

Já vi esta resposta nalgum sítio, mas não me convenceu, tanto que não a recordo.

Hoje tive um dia normal e não me sinto nem triste nem contente e até parece que deste coração nunca sairam gritos nem desejos... por isso hoje digo-vos uma coisa: a poesia não serve para nada, apenas para respirar.

Susana

quarta-feira, janeiro 13, 2010

Versos náufragos, vidas no vividas y otras tantas agotadas...

quinta-feira, janeiro 07, 2010

Lágrima de preta (António Gedeão)

Encontrei uma preta

que estava a chorar,

pedi-lhe uma lágrima

para a analisar.



Recolhi a lágrima

com todo o cuidado

num tubo de ensaio

bem esterilizado.



Olhei-a de um lado,

do outro e de frente:

tinha um ar de gota

muito transparente.



Mandei vir os ácidos,

as bases e os sais,

as drogas usadas

em casos que tais.



Ensaiei a frio,

experimentei ao lume,

de todas as vezes

deu-me o que é costume:



Nem sinais de negro,

nem vestígios de ódio.

Água (quase tudo)

e cloreto de sódio.


António Gedeão
Ocorreu um erro neste dispositivo